Refletindo e iluminando palavras e sentimentos.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Olhares

Cada poema
Uma torrente de expressão
Único em folhas ao vento
Firme as agruras do tempo
Nu em águas de redenção.


Como fogo lento e sedento
Que queima as entranhas
As palavras urgem
Com sua fome estranha.


A boca saliva versos
Que escorrem a ermo
Pulsando, gemendo
Criando arvoredos.


Meus inflames
São nervuras em meu corpo
Escorrem seiva sussurrante
Versos marcados flamejantes
Ao ferro e ao fogo.


Minhas palavras
São só pedaços do meu sentir
Acordes da minha alma
Que insistem em sorrir.
®IatamyraRocha

Amo - Te verso [ Efêmero ] 




2 comentários:

Daniella Caruso Gandra disse...

São minhas palavras que expresso através dos eixos que desloco para criar a poesia!!! Adorei seu poema, Iatamira, parabéns! Bjos.

Josette Garcia disse...

Magníficos versos...Plenos! Bjs