Refletindo e iluminando palavras e sentimentos.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Gravitacional

Se eu pudesse voaria
Tenho sede de infinito
O desejo vem na ponta da língua
Salivando versos que só meus olhos vêem
Bem do alto de uma nuvem cor de rosa
Eu e minha poesia viramos refém.

Imagino lirismo doce
Antítese da tempestade que chega
Tempestuando meus cabelos
Ora adornados com flores e fados
Por algum pássaro branco cantante
Vindo de alguma terra distante.

Ainda que pudesse
Recontruía minha asas imaginarias
Que a razão por algum motivo ou distração
Esqueceu presa no gelo do meu inverno
Ou na mudança da estação
Derreteu frente a algum inferno.

Colaria cada suspiro meu
Aos beijos dados sem culpa
Emendaria minhas asas as das fadas
E voaria sentindo o coração me invadindo
Exaurindo toda e qualquer dor
Seria eu voando vestida só de amor.

Uma vez no alto
Sorriria aquele sorriso
Confessado no céu da nossa cama
Bebido por você com os olhos
Indagando se é tua aquela chama
Julgada junto com as minhas asas
Poeticamente imaginadas.
®IatamyraRocha

Só para poetar - Te amo / Efêmero

Nenhum comentário: